Picos Pro Race 2018 chega com tudo e inova com mais categorias e prova Trail Run

A Terra do Mel do Piauí viveu fortes emoções com o moutain bike e trail run

A cidade de Picos viveu fortes emoções nos dias 30 de junho e 1º de julho. A Terra do Mel do Piauí pela sexta vez sediou o Picos Pro Race (PPR), prova de moutain bike que já virou tradição pela organização e trilhas radicais no sertão e que este ano conseguiu reunir 600 atletas do Norte e Nordeste do país, em um percurso de 90 Km. As largadas e chegadas aconteceram no Piauí Shopping, que também foi palco para apresentações culturais com bandas locais, dando espaço para o lazer e entretenimento.

A grande novidade deste ano foi a inclusão da modalidade Trail Run (corrida a pé em trilhas), que a cada dia ganha mais adeptos. Já na prova de MTB novas categorias conseguirem incluir mais praticantes do esporte. As novidades ficaram por conta das categorias “pesadão”, para atletas com mais de 100 quilos, PNE, para portadores de necessidades especiais, e a E-bike, a mais nova tendência mundial com bikes elétricas.

Além do percurso PRO de 90 km para as categorias oficiais, e do percurso SPORT (45km) para a categorias turismo, a organização resolveu criar o percurso LIGHT (21km) possibilitando a participação de qualquer ciclista.

O ineditismo da PPR Trail Run abriu o primeiro dia de competições. A prova exigiu resistência e adrenalina dos competidores que enfrentaram alta temperatura, clima seco, subidas íngremes dentro da caatinga piauiense. A prova teve início às 14h30 e foi disputada por 60 inscritos que percorreram 21 Km de um percurso duro, divididos nas categorias individual e dupla. Além de Picos, o PPR também percorreu as cidades de Santana do Piauí e São João do Piauí.

Wadson Sousa do Nascimento, da equipe Marinho, de Teresina, foi o vencedor com o tempo de 1h35m24s. “Graças a Deus, apesar de tudo, fui primeiro colocado, e agora vamos nos preparar para mais resultados como esse. A metade da prova, nos trechos mais técnicos e de maior elevação, foi onde sofremos mais desgastes. Uma prova dura, calor intenso, alta temperatura, mas deu tudo certo”, disse Wadson Sousa do Nascimento.

No feminino, o menor tempo foi de Rita de Cássia Sousa, da equipe Caçadores de Trilhas, de Teresina, que terminou com 2h10m16s. Segundo o diretor de prova, Nonato Costa, os atletas encontraram no percurso estradas vicinais, “single tracks”, matas fechadas, areia, piçarra, pedras, tornando a prova um verdadeiro desafio.

Para o organizador do Picos Pro Race, Daniel Freitas, esta primeira prova demonstrou que eles conseguiram repassar toda a experiência do mountain bike para o trail run. “Nós pudemos ter a noção do que seria este tipo de prova. Vimos o sorriso no rosto dos competidores. Levantamos uma trilha bacana. Poeira e sol quente desmanchando os atletas, plantamos a semente e queremos que ela dê mais frutos”, disse.

O segundo dia de competições teve início às 7h da manhã com a prova principal. O PPR 2018 contou com muitas subidas, alta temperatura, muita single track e um cenário instigante para os amantes do moutain bike.

O menor tempo de prova ficou com o paraibano Willians Ferreira do Nascimento, categoria Elite, que participa pela primeira vez do PPR. Com apenas 19 anos, o “menino” da categoria Elite sofreu com as subidas e alta temperatura do sertão piauiense.

“O nível é muito alto, sofri muito, andei quase toda a prova com meu parceiro da Paraíba do lado, agradeço a ele inclusive. A prova é top, bem organizada, sofrida, tive bom resultado e foi show. É um orgulho, não é fácil chegar ao topo do pódio. É muito difícil, só para atletas de alto nível”, disse Willians Ferreira.

No feminino, a vencedora foi Karine de Macedo Frota, de Teresina, categoria Elite, equipe Evo Bike. Karine relata que sua maior dificuldade foram as subidas, um terreno difícil, já que no treino na capital piauiense não é comum encontrar.

”A sensação é a melhor do mundo, a prova é muito desafiadora, percurso duro, mas moutain bike é isso, é sofrimento. Não temos muita subida em Teresina, então não treino muito este tipo de terreno, tenho muita dificuldade. Dei o meu melhor, queria agradecer a todos que me apoiam, a minha treinadora que é minha ‘mãe’”, disse Karine Frota.  

Daniel Freitas disse que o percurso foi bem diversificado. “A PPR 2018 teve 21 categorias. Além das oficiais, houve as opens, que são categorias que a própria prova pode criar, como a LIGHT, a E-BIKE, Pesadão, entre outros, para dar oportunidade a todos que queiram praticar o e esporte”, disse.  

O PPR 2018 valeu pontos no ranking piauiense e ranking nacional nas categoriais PRO, TURISMO e LIGHT. Foram R$ 15 mil em dinheiro para os campeões. Para as bikes, vale como etapa do ranking piauiense da Federação de Ciclismo do Piauí – FCP e ranking nacional de maior pontuação da Confederação Brasileira de Ciclismo – CBC (classe XCM1). O evento tem a parceria com o Governo do Piauí e Prefeitura Municipal de Picos.

Compartilhe essa notícia: